Início

Se o destino for alcançável de moto
nós iremos lá!

Webmail Área Reservada

MCP pelo Planalto Mirandês

Decorreu neste fim de semana de 18 e 19 de novembro o passeio designado pelo Passeio ao Parque de Montesinho e pelo Planalto Mirandês.

Com a maioria dos participantes a chegar na sexta feira, rapidamente o grupo se auto organizou, com o nosso sócio Artur Silva a marcar um simpático restaurante para o jantar.

Convívio e companheirismo pautaram a noite. Foi um serão muito agradável.

Já no sábado, e após uma semana de chuva intensa, fomos premiados com um dia excepcional.

Reunião dos participantes no miradouro de São Bartolomeu. Pelas 10 horas saímos para o percurso. A Cidade de Bragança envolta em nevoeiro, com o seu castelo a sobressair, deu o mote para as deslumbrantes paisagens que iríamos contemplar.

Saída de Bragança pela bela estrada N103-7, em direcção à Portelo. Fábulosa subida para a aldeia que dá o nome ao Parque Natural Montesinho. Estrada pitoresca, sinuosa entre castanheiros, no topo com uma vista deslumbrante sobre o território.

"Entre Montesinho e Rio de Onor.... Terrivelmente lindo." ou "As corres das paisagem são tão fortes e deslumbrantes", foram desabafos de alguns dos participantes deste evento.

Todos desfrutaram da aldeia de Montesinho, e da forma hospitaleira como fomos recebidos pela população local.

Seguido o programa estabelecido, partimos em direção a aldeia de França, onde abandonamos a EN103-7, para uma pitoresca estrada municipal M501, junto ao rio Sabor. Passagem por Aveleda e Varge até Rio de Onor.

A aldeia, inserida no Parque Natural de Montesinho, é atravessada pela fronteira com Espanha.

De um lado, Rio de Onor, do outro, Rihonor de Castilla. Casas típicas serranas em xisto com varandas alpendradas, enquadram a paisagem, atravessada pelo Rio.

De coração comunitário, tem nos seus habitantes o maior património. Um lição de vida, memória comum, lição de empatia.

Saída em direção ao almoço, para a aldeia de Babe. No restaurante Lombadas, foi servida a tradicional POSTA, para deleite dos 21 presentes.

Após o repasto, novamente à estrada. Para a fronteira primitiva de Quintanilha, local onde recebemos o João Pedro Pereira e o Tito Baião, vindos de Macau, em 1999.

Dois motociclistas portuenses efectuaram, entre Agosto e Outubro desse ano uma ligação terrestre inédita de Macau ao Porto, percorrendo, sempre em duas rodas, um total de 28.500 quilómetros, em 75 dias e através de 15 países.

Este local avivou memórias de outros tempos, sobre esta fronteira, partilhada com os participantes mais novos, que ouviram incrédulos, como era atravessar a fronteira para Espanha. A burocracia, as revistas ás malas das motas, entre outras coisas.

Depois dessas estórias, fomos "arredondar os pneus", na N218 em direção a Bragança, para delícia dos mais novos que sentiram a adrenalina de encadear curvas, com subidas e descidas, envolvidos entre paisagens deslumbrantes.

Fim do dia de sabado, pelas 17 horas, na cidadedela de Bragança, com uma subida ao castelo sem complicações de condução. Percurso escolhido para ser acessível a todos os participantes.

Alguns participantes ainda tiveram o privilégio de seres servidos pelo Chef Luis Portugal (vencedor de uma das edições do programa de TV Master Chef ) e com recomendações Michelin à 5 anos consecutivos. Muito simpático por sinal. O seu establecimento (Tasca do Zé Tuga) fica mesmo em frente à porta do Castelo, e apesar de fechado serviu umas bebidas à malta.

Já o jantar de sábado impressionou os 18 participantes, pela sua localização muito perto do hotel, quantidade e qualidade excepcional da refeição. O Restaurante Emiclau ficou marcado como uma referência para novas visitas à cidade de Bragança.

No Domingo, a cidade de Bragança estava dentro de uma gigantesca nuvem. Rodamos com calma até ao centro interpretativo das minas de Argozelo.

Com as explicações do Sr. Pedro, cicerone do edifício, percebemos melhor as vivências das populações e a importância estratégica das minas no contexto mundial do século passado.

Novamente na estrada, em direcção da Ermida de Nossa Senhora da Luz, local emblemático onde se realiza uma festa conjunta entre portugueses e espanhóis, com umas vistas magníficas. Mas infelizmente a gigantesca nuvem que cobria o Planalto Mirandês teimava em não dissipar.

Curiosamente, o terreiro exterior da ermida estava cheio de cogumelos enormes, motivo de interesse e proporcionando fotografias espetaculares.

Dadas as condições meteorológicas, não fizemos as visitas a todos os miradouros previstos e seguimos em direção à barragem de Miranda, precedida por uma pausa para café e visita à rua das lojas em Miranda do Douro, onde são vendidos atoalhados a espanhóis, e que levantou o interesse a alguns participantes.

Na barragem de Miranda do Douro, observamos o Rio Douro na sua cor natural. Após as fotos da praxe, seguimos em direção a Mogadouro, passando no centro da Vila de Sendim, onde podemos contemplar a lgreja Matriz de Sendim, lgreja de Santa Barbara e a Capela da Boa Morte.

Fim do evento em Mogadouro, às 13 horas em ponto, no restaurante a Lareira para saborear mais uma iguaria transmontana.

Algumas fotos da Organização e muitas partilhadas pelos participantes no grupo do evento.