Se o destino for alcançável de moto
nós iremos lá!

Webmail Área Reservada

MC Porto no Mototour das Nações na Tunísia

Motos, Portugueses, Viagens, Estrangeiro....a Loucura!!!!

E nós fomos lá...!

Nós o Moto Clube do Porto (MCP), a Federação de Motocilismo de Portugal (FMP), os motociclistas Portugueses… E foi bem giro! E bem representado!

Lá, a Tunísia, e a aventura que nos esperava por aquelas terras e nos dias que a antecediam e se seguiam… Viagem de 8 a 18 de Outubro de 2018 com horários e encontros cumpridos e respeitados de forma incrível!

Grupo heterogéneo de 31 pessoas, em 20 motos, que espontaneamente se dividiram em 4 grupos de viagem de forma a não se atrapalharem uns aos outros. Formula de sucesso e que nos juntou a todos novamente no porto de Marselha para embarque para a Tunisia e desembarque em Tunis.

No último ano, o MCP tinha levado à Grécia um grupo de 22 pessoas, naquilo que foi a mais fantástica viagem de sempre dos seus participantes! Ambiente fantástico, tempo fenomenal, incidentes zero, paisagens belíssimas….

Este ano resolvemos repetir a dose… Ambiente novamente fantástico, tempo a precisar de ser despedido por má performance, incidentes alguns (a testar a nossa capacidade e a nossa resposta) e paisagens mais normais, mas ainda assim muito bonitas!

Resultado em ambos os casos: Uma enorme sensação de dever cumprido, de integração perfeita em grupo, tanto a nível social como a nível de condução e conduta em caravana, uma alegria colectiva de uma viagem bem passada e com mais valias imensas sobre vários aspectos e pontos de vista! Assim vale a pena!!

A Tunísia recebeu-nos muito bem! Todos diríamos que muito melhor que o que esperávamos! De uma simpatia e disponibilidade enorme, os elementos da organização primaram pelo cuidado e pela atenção a todos os participantes. Enorme apoio das autoridades, apoio mecânico na retaguarda com carrinha e ferramentas, e ainda com ambulância permanente… Não nos faltou nada!

No que respeita ao MCP e a presença dos portugueses no evento, deixar aqui um elogio pela enorme correcção e simpatia de todos, pela sua forma discreta de espalhar alegria, pela ordem e segurança que transmitiram a todos os que vos rodeavam! Grande sucesso!!

Uma palavra para os apoios recebidos – MCP, Runporto e Spidi - que nos permitiram estar “equipados de igual” e criar um também enorme impacto visual em todos os que nos viam passar.

Há “coisas” na vida que valem a pena!! Andar de moto é sem dúvida uma delas…. Passear com os amigos (em moto) é outra delas… E visitar países onde nos recebem com o coração aberto e nos mostram o que de bonito há para ver, é mais uma delas!! Receita perfeita para uns dias muito bem passados.

Pelo valor humano da aventura, pelo valor turístico do evento, pelo valor social do resultado, aqui vos deixamos alguns testemunhos vividos na primeira pessoa…

E claro, fotos, muitas fotos! 😊 no final dos testemunhos

MCP on the Road to Tunisia

https://photos.google.com/share/AF1QipOEcVkTejigJa6PkE4kpRj0C-JQdv4EeK9BjG0-zp59h7VKo4Eg2Q6SNRUusdqiKg?key=N0gtMjdONFBwX0ZONk5vS0FZTFJUN3M2ZmVLcnFR

Testemunhos na 1ª pessoa

Neusa Mendes

À aventura pela Tunísia.

Não seriamos portugueses se não gostássemos de explorar, de partir à aventura e conhecer novas gentes, os seus costumes e tradições.

Estávamos todos curiosos e penso que ninguém veio dececionado.

A Tunísia é um pais que merece ser visitado. Tem monumentos maravilhosos. A grande Mesquita de Sousse, por exemplo, estava aberta e vimos o seu interior, lindo.

Os mosaicos que vimos no museu são de um pormenor extraordinário.

O povo é muito acolhedor. Sempre que passávamos com as motas nas ruas os adultos e as crianças em particular acenavam e sorriam.

Gostei muito do percurso e de todos os sítios que visitamos. Havia muito mais para ver e no futuro não faltarão oportunidades. Recomendo a quem goste de história a visitar o pais.

Margarida Silva-Leal

E foi mesmo uma grande aventura...fantástica!

A apreensão de uma viagem tão grande de moto, mais de 4.000kms, foi grande, muito grande!!

Mas não era preciso! Vim de coração cheio...... cheio de amigos, cheio de uma cultura diferente com gente simples e boa e que me ensinou bastante e também cheio de experiências irrepetíveis.

Tenho que agradecer a duas pessoas especiais, ao meu marido, Zé Monteiro, que nunca me deixou desistir da viagem e ao Nuno Trêpa pela coragem de organizar uma viagem desta dimensão e que foi maravilhosa a todos os níveis. Cansados, sujos, mas no dia seguinte cheios de força para mais uma etapa.

And next MCP.........Road to....?

Paulo Beigel

"Mais importante do que o destino, é o caminho que se percorre!"

Este lema que aplico na maior parte das minhas viagens e passeios de moto, é aplicado apenas em parte deste MotoTour of Nations 2018 - Tunisia, tal era a curiosidade e a perspectiva de conhecer este país!

A possibilidade de visitar um pais do continente africano que dificilmente se encontra ao alcance do comum motociclista, sob a chancela da Federação Internacional de Motociclismo (FIM), com o apoio do próprio governo, da Federação Tunisina de Motociclismo (FTM), do Moto Clube de Sousse e dentro da estrutura do Moto Clube do Porto, era demasiado boa para ser ignorada. Passando das ideias à prática, começou a ser delineada em maio e foi concretizada em outubro, depois de várias reuniões e acerto de pormenores maiores ou menores nos quatro meses que antecederam a partida. 

Uma viagem de 1.600kms dividida em 2 dias, uma estadia de 30 horas no ferry que une Marselha a Tunez (seriam 23 horas mas devido a problemas burocráticos entre companhias de ferrys, fez com que atrasasse…) e mais 150kms de autoestrada já em território Tunisino fez-nos chegar ao nosso destino Sousse, que seria o centro fulcral e ponto de partida deste Mototour.

Ao longo de 3 dias conhecemos uma Tunisia direccionada para o turismo e um esforço enorme dos seus habitantes pelo bem estar dos seus visitantes. Mais de 100 motociclistas de várias nacionalidades, predominantemente portugueses seguidos de perto pela Croácia e logo atrás a Espanha mais italianos, belgas, dinamarqueses, holandeses, Suiços, Libios e outros, e a fechar com os Tunisinos, escoltados pela policia, serviços médicos e por infindável numero de componentes do Moto Clube local que mantiveram a coluna sempre unida e as estradas sempre livres para a passagem da comitiva.

A visita a EL Jem e o seu coliseu foi o ponto alto do primeiro dia, com as habituais adequações da condução e postura a um pais desconhecido. Nestas situações as curiosidades são mais que muitas, mas ainda eram mais as dos habitantes locais perante uma comitiva motociclística desta envergadura.

No segundo dia e limadas algumas arestas no que diz respeito à forma da caravana e à sua composição por países, seguimos para Kairouan onde visitamos a medina e almoçamos. Na viagem para o hotel fomos surpreendidos por um diluvio que nos apanhou desprevenidos e que nos molhou até à alma.....

No último dia visitamos o museu de Sousse e fomos a Monastir, localidade junto ao mar com praia e toda a estrutura necessária para a captação do turismo que tanto necessitam depois dos atentados terroristas que sofreram em junho de 2015.

Com um desfile da caravana por Sousse e arredores, deu-se por terminada a nossa estadia na Tunísia dentro do Mototour of Nations. 

Gostaria de ter visitado uma Tunisia mais profunda e mais típica, assim como a entrada no deserto e suas aldeias. A facilidade de deslocamento que a moto nos proporciona seria o mote para o desbravar deste pequeno país africano. Para conhecer as praias e o que o turismo de massas pretende, iria de avião e instalar-me-ia num dos bons hoteis que existem com toda a estrutura ao meu dispor, não tendo que sofrer com a burocracia de entrada no país por via marítima com o desperdício de 2 dias enfiado num ferry. Bastavam-me 6 horas de avião divididas em 2 vezes.... Mas como comecei este texto, o que interessa é o caminho que se percorre, e essa foi uma boa experiência com quase 4.000kms para me encherem as medidas com a GSA a portar-se lindamente e a proporcionar uma comodidade e eficácia exemplar!

Com o regresso, repetiu-se praticamente a viagem de ida, com a diferença de que o grupo era maior pelo menos até Girona, onde se dividiu para descanso de alguns elementos.

A chegada ao Porto deu-se com um sentimento de "dever" cumprido e proposta ganha, tendo para isso, contribuído a estrutura do grupo e a forma como foi liderado, apenas sentindo que numa nova viagem com contornos semelhantes, seja implementado mais rigor na análise de experiência de condução e postura dos elementos do grupo em prol da segurança de todos.

“COMENDADOR”  Aurélio

A MINHA VIAGEM

Madrugada, dia 8: e o sono que não vem, é só expectativa.

Sete horas, sou o primeiro a chegar à Galp (alguma vez tinha que o ser), e chega o Beigel. Olho para ele devidamente equipado e olho para mim, concretamente para os meus pés. Levo sapatos grossos (afinal vamos para África).

Chega outro, outro e ainda outro e todos com fatos de chuva e eu sem vontade de vestir o meu. Chega o Nuno, logo, chega a organização e há que fazer reparos de viagem e eu continuo a ignorar o meu fato de chuva. Rolamos estrada fora e chegamos a Alcanices com sol e eu todo sorridente.

Eis que chega a fome e a primeira expectativa foi gorada, toma lá bocadilhos (disse à barriga: logo vai ser melhor), e assim foi. Chegamos a Zaragoza, bom hotel e bom jantar (vinguei-me). Depois de bem dormidos e já na estrada, a chuva fez questão de nos acompanhar. Lá molhei os meus sapatos pois mesmo o fato de chuva não os protegeu. Já em Girona para almoçar (15 horas) e almoço não havia, mas com boa vontade todos almoçamos igual. Como sobremesa recebemos um forte aguaceiro que em boa verdade, durou pouco tempo e, entretanto, os sapatos secaram. Em França e a gozar a belíssima paisagem após Perpignan fomos desviados para um lindo vinhedo. Não foi escolhido, não fazia parte do roteiro, foi o acaso: estrada cortada. Após muitas voltas eis-nos de novo na estrada e a tarde a desaparecer, com Nimes à nossa espera. Bendito Beigel que reuniu com o Nuno e eis-nos na autoestrada e de novo a chuva apareceu. Camiões, muitos camiões e muita água soprada por estes e lá se molharam os meus sapatos outra vez. À noite em Nimes: pessoal, vamos jantar. O restaurante de serviço era o McDonalds (devido as horas) agora com um grupo maior.

A Helena, indisposta, veio de boleia com o Nuno e eu tinha ido de boleia na minha moto e tive de a trazer (obrigado Fábio, pela boleia na minha moto).

Manhã cedo, Marselha à espera e a chuva por companhia. Foi omnipresente até ao embarque e os meus pés numa piscina. Controle alfandegário em execução e eu com os meus problemas: Nuno! perdi o meu passaporte: tinha que ser eu, mas não foi verdade. No meio de tantos bolsos e tudo tão molhado ele apareceu e eu sosseguei. Já a bordo, fiz (fizemos) da cabine um estendal que de pouco valeu.

Interroguei-me: será que na outra costa, também vai chover? Responderam os meteorologistas de telemóvel: não! e a expectativa elevou-se a alta fasquia, o que na realidade de todo não aconteceu. Desembarcados em Tunes, recebidos com calor noturno africano e em autoestrada até Sousse, sem portagens e com batedores, (senti-me um ministeriável) e eis-nos no hotel, lindíssimo e com uma receção calorosa à nossa chegada. Fomos os últimos, sem direito a jantar, mas a sanduiche a seco, que nos serviram tardiamente sossegou o estômago. Não há culpados, somente atraso do barco. Todos irradiávamos sorrisos, simpatia, amizade e até empatia com outros grupos. O prazer de ter chegado ao destino.

O programa da visita foi por demais absorvente. Foi rico, lindo e aprazível. As ruínas do Coliseu (os romanos também passaram pelo norte de África), o Mosteiro, os Museus e a Casa-Museu do libertador desta posse africana em relação a França, as praias e as zonas turísticas, são de um encanto ímpar, sempre acompanhadas em cada paragem, de um ótimo repasto. Então aquele na visita às tapeçarias, acompanhado com chá, foi de chorar por mais.

As saladas, o couscous servido da mais variada forma e bem picante e eu a pedir cerveja num país muçulmano: toma lá água. Como resultado tive o meu organismo virado do avesso. Mesmo assim, não resisti às tâmaras e em quantidade, às romãs e outros frutos. Então aquelas servidas pelo Nuno já no regresso, foram a cereja do bolo da visita à Tunísia. Aonde está o resto? Agora à distância é que sabiam bem. Mas voltemos aos sapatos: é que mesmo em África, a chuva também esteve presente. Deixamos de nos ver na caravana durante uns minutos, tal foi a pluviosidade e os sapatos e não só, voltavam a ser piscina.

A caminho de Portugal, de novo em Marselha, cedo me apercebi que continuaríamos a ter a chuva por companhia e não me enganei. Ignorámo-la e mantivemos o espírito de grupo e de solidariedade. Em Espanha, afinal há bom vento e sol, muito sol que nos acompanhou até ao fim da viagem e os meus sapatos sequinhos. Aquela paragem antes de Toro, em que momentaneamente fiquei mais rico, de nada nos valeu, pois afinal o dinheiro não era meu e depois de milhentas opiniões e a boa vontade do Pedro, ela (a carteira) ficou no mesmo sítio. Ficamos de consciência tranquila.

Não posso esquecer a procura para jantar em Toro. Tudo fechado e ninguém na zona histórica, só nós, motards. Aquele e único aberto, era de um português, logo salvou os estômagos. Obrigado…

Dormidos, bem dormidos, eis-nos de rosto virados para o nosso querido Portugal, sem, contudo, apreciar a linda paisagem de Zamora: então aquela albufeira era de arrepiar. A “posta” podia esperar, mas eu preferi o bacalhau. Bom almoço para despedida do grupo e é aqui chegado e depois de tudo o que retenho na memória, fica-me a imagem daquele círculo, todos ombreados, ouvindo o Nuno a agradecer a nossa correção e amizade entre todos. OBRIGADO NUNO pelo empenho que pões em cada viagem, sobretudo pela organização. Obrigado a todos com quem convivi e privei. Foi um prazer viajar convosco.

P.S. A comenda extraviou-se e onde devia estar na minha montra de viagens, está agora o barrigudo, bonacheirão e descontraído motard por vós oferecido.

Filomena Ramos e Abel Gomes

Aventura na Tunisia

O destino final da viagem: Tunisía. Um grupo de motociclistas portugueses, alguns acompanhados de penduras, participaram no Mototour of Nations 2018 que se realizou a partir de Sousse – Tunisia.

A preparação começou muito antes da data prevista da partida. Eram demasiadas motos para fazer o percurso juntos e os objetivos até lá eram diversos. Assim, uns com tempo, outros nem por isso, lá foram partindo com o objetivo comum de todos participarmos no evento em representação de Portugal e do Moto Clube do Porto, do qual a grande maioria é associado.

Fiz parte como pendura do último grupo a partir. Todos nos encontraríamos em Marselha para o transbordo até Tunes.

O itinerário de aproximadamente 1.500kms, previa cruzar Espanha, França até Marselha em apenas 3 dias.  A excitação da partida era grande. Foi cedo que nos encontramos e iniciamos a nossa viagem com promessa de 800km para o 1º dia. Alguém se esqueceu de documentos, e assim acontece o primeiro contratempo.

As viagens são grandes sonhos para os amantes das motos. Afinal, basta uma boa companhia e boas estradas para desbravar outros locais com facilidade de acesso e o prazer que só uma moto consegue proporcionar. Combinado com isso, também está a aventura que uma viagem destas pode proporcionar, desde as paisagens a todo o resto que acontece numa viagem em que são diversos os intervenientes, com destaque sobretudo para quem sabe perceber a importância de fazer parte de um grupo.

O desafio é chegar.... Ninguém quer que as condições climáticas interfiram ou que alguma atitude individual possa ser entendida como entrave. Mesmo assim, desde chuvas violentas a alguns contratempos que surgiram devido aos itinerários sugeridos pelos GPS, tudo foi fácil de superar.

Importante foram os locais marcados que funcionaram como objetivos para descansar e recuperar forças, assim como os momentos para reabastecer que foram autênticos momentos de relaxamento e de fortalecimento do grupo.    

Porque são os momentos que vivemos, as experiências que temos, as pessoas com quem convivemos, as oportunidades que não perdemos, a capacidade de em qualquer que seja a situação, saber ultrapassar as adversidades e ainda as escolhas que fazemos, que fazem de nós a pessoa que somos.

Afinal, viajar pode ser a oportunidade de aprendermos a reagir positivamente diante dos imprevistos. Assim aconteceu no regresso, em que todos os condutores estiveram de parabéns, pois souberam demonstrar destreza e respeito pelos outros na estrada. Assim como perceber a importância que o pendura pode ter, numa conduta de confiança no condutor e vice-versa.

As visitas realizadas na Tunísia, desde o cemitério junto do forte em Mahdia, o coliseu de El Jem, provavelmente usado para espetáculos de gladiadores, corridas de bigas e outros jogos de circo, a medina em Kairouan, percorrer Sousse, a capital da região e visitar o seu museu, Monastir e o antigo palácio presidencial.

Toda esta região está cultivada com extensos olivais, sendo a azeitona e o azeite extremamente valorizados. Pelo percurso ainda tivemos oportunidade de testemunhar localidades com modos de vida muito singulares, a exposição de carnes nos talhos, as oficinas automóveis na rua, as mais diversas lojas, as mesquitas com os seus minaretes, a alegria dos residentes manifestada apenas por nos ver passar, fazem que nos interroguemos sobre os motivos que nos levam a reclamar sobre o nosso modo de vida...

Ficamos hospedados no Hotel Marhaba Palace El Kantaoui, com uma praia privada, 2 piscinas exteriores e um clube nocturno, que apresenta uma excelente localização no Mar Mediterrâneo. O tempo contribuiu para tornar este passeio na Tunisia um momento agradável, com a exceção de um dos dias em que por momentos nos sentimos debaixo de uma tormenta...assim é África.

Muita brincadeira com passeio à mistura, faz acreditar que novas aventuras se seguirão. Com disposição e vontade para fazer parte de uma nova aventura....

Manuel Tavares e Marinha Queirós 

Tunísia, nós fomos lá!!

A viagem à Tunísia foi excelente e espectacular! Uma viagem ao estilo de passeios MCP, onde o espírito de companheirismo e de entreajuda esteve em primeiro lugar. Quanto ao evento, muito bem organizado e todos os intervenientes foram incansáveis e hospitaleiros. Uma palavra de agradecimento aos companheiros de viagem, que foram espectaculares.

Um agradecimento especial pelo apoio prestado, à direcção MCP, ao José Fonseca pela SPIDI e ao Jorge Teixeira pela RUNPORTO.

Um agradecimento muito especial ao Nuno Trêpa Leite, pela logística e burocracia desta excelente viagem.

Assim vale a pena viajar...

Fonseca e Tilde

Tunísia 2018

Os 4.000kms de moto, um destino exótico como a Tunísia e um evento com a chancela da FIM, foi seguramente o que nos levou nesta aventura.

Se a tudo isto somarmos a relativa instabilidade da região, teremos os condimentos necessários para embarcar nesta viagem fantástica!

Foi juntamente com um total de 31 motociclistas que em terras Africanas nos aventuramos a visitar lugares, museus e monumentos de rara beleza, sempre com a máxima simpatia e segurança que os nossos anfitriões do Moto Clube de Sousse e da Federação Tunisina nos souberam presentear.

Aliás estes foram de uma simpatia e organização tal que nos surpreendeu a todos pela positiva.

No final o Moto Clube do Porto e a Federação de Motociclismo de Portugal arrecadaram os principais prémios do evento, o que embora não sendo o objetivo principal, foi um momento de grande união e alegria dentro do grupo.

Este foi assim um daqueles eventos que não se esquecem mais e que se esperam repetir em breve... agora para outras paragens.

Helena Carvalho

Posso descrever esta aventura da seguinte forma. 

Esta viagem

Teve quatro estações,

Acção,

Experiência, 

Queda e 

Recordação.

Obg., a todos que fizeram parte desta aventura comigo.

Bjinhos 

Tito Baião

Cada partida é uma nova chegada. Cada chegada é uma nova partida.

Sempre que parto em viagem há dentro de mim o sentimento da espera pelo momento do regresso.

Depois de uns dias a preparar tudo o que seria necessário, encontrei-me com o meu grupo de viagem, que partiria da área de serviço de Águas Santas.

A minha memória já não é o que era, e não sei porquê, lembrei-me de que não tinha o livrete da mota. Tive que voltar a casa, mas disse a todos que partissem à hora combinada e que os apanharia no caminho. E assim foi, juntei-me a eles depois deste primeiro percalço.

Sabia que nesta viagem iriamos ter bom e mau tempo. Felizmente a chuva e o vento intensos só apareceram à chegada a Marselha.

O grupo foi coeso e, mais uma vez, muito disciplinado, como quase todos os MCP têm quando rodam juntos. Os hotéis foram bem escolhidos. 

Rodava como já tinha feito na viagem à Grécia. À frente o comandante, e a fechar eu e a minha "central eléctrica" a assinalar-lhe que ninguém ficava para trás.

Ao longo da viagem até Marselha fomos encontrando os grupos MCP que tinham partido em dias diferentes.

Mais uma vez se notou a boa organização da viagem, pois a entrada para o navio fez-se sem sobressaltos. Tive o pequeno azar, na entrada do porto, de derrapar e cair com a mota, sem consequências. Claro que antes de pousar os pés naquele enorme monte de ferro flutuante, tomei as minhas pastilhas contra o enjoo.

As quase 24 horas do navio foram passadas maioritariamente a dormir, para recuperar do muito cansaço.

O desembarque na Tunísia foi outro exemplo de excelente organização, e mais rápido do que eu imaginaria.

Com batedores a abrir caminho, partimos já com todos os portugueses e os outros participantes no evento, de forma segura, sem interrupções, até ao hotel.

Infelizmente chegamos quase 4 horas depois do previsto, por culpa do atraso provocado pela "tempestade" em Marselha.

Sobre a Tunísia não tenho muito a dizer. Esta foi a terceira vez que lá estive.

Reconheço a forma inexcedível como fomos tratados.

Todos estavam sempre disponíveis a ajudar-nos, fosse nos passeios ou no hotel.

Sem surpresas, pelo menos para mim, o grupo do MCP destacou-se claramente de todos os outros, pela capacidade de rolar disciplinadamente em estrada, de saber ajudar os outros quando necessário e de, entre nós, existir um forte companheirismo, mesmo não conhecendo grande parte dos elementos da equipa.

Continuei sempre a moto vassoura e tive até que esperar por um companheiro que, por estar com sono, resolveu parar para fumar um charuto! Confesso a minha surpresa!

Gostava também de destacar o grupo da Croácia que, como nós, tinha um comportamento irrepreensível na estrada.

Num dos dias estive mesmo para abandonar o meu "posto". Seguiam atrás de nós o grupo dos simpáticos líbios, com quase todas as motas a lançar aos nossos ouvidos o estridente som das suas canções, ensurdecedor! 

Na festa final arrancamos brilhantemente dois merecidos primeiros prémios! Foi uma noite alegre, tendo até uma dançarina que nos proporcionou a dança de (um volumoso) ventre!

Era hora de preparar o regresso.

Mais uma vez escoltados pela polícia, partimos para Tunes, para mais umas pastilhas salvadoras e 24 horas de barco. 

A caminho de Girona, um acidente de um dos nossos na auto-estrada. Parecia muito grave, mas felizmente não foi. Apanhei um grande susto: eu e outro companheiro tivemos que "lamber" os rails centrais, para não sermos apanhados pela mota ainda em movimento. As malas ficaram um bocado estragadas, mas passamos. Depois de nos certificarmos que a nossa acidentada estava bem entregue às equipas de emergência, seguimos para o hotel em Girona.

Até agora não falei em nomes, mas aqui quero expressar a minha grande admiração pela Anatilde e pelo Abel, os nossos enfermeiros que prestaram a primeira assistência. E ao Fonseca, por ter seguido até ao hospital.

Nessa noite avisei o nosso comandante de que no dia seguinte não seguiria com eles, pois não estava em condições físicas para fazer quase 900 km. Fiquei com mais 3 excelentes companheiros, numa viagem mais calma, com uma etapa em Sória antes de chegarmos ao Porto.

Foram dias de fraterno convívio, diversão, genuína alegria, comportamento exemplar na estrada, que criaram o desejo de "repetir a dose"!

Como disse no início, cada chegada anseia por uma nova partida.

Espero que possa voltar a viajar com todos vós e, claro, já com a minha companheira Susana na sua própria mota.

Não quero terminar sem dar um forte abraço ao Nuno Trepa pela capacidade de liderança demonstrada e pela paciência com que nos aturou a todos.

Viva o MCP.

Assinado: "o traidor e auto-proscrito" 

Joana Moura

“Viagem de uma pendura”

Esta viagem serviu-me para tentar vencer o medo que tenho de andar de moto e de facto, constatei que temos uma visão mais ampla de tudo o que nos rodeia.

Apesar de alguns contratempos durante os diferentes dias, a equipa dos “tugas” fez com que tudo corresse lindamente.

Quando chegamos à Tunísia tivemos a presença da polícia que nos escoltou até ao hotel e assim continuou até ao regresso ao porto de Tunes. Admiro a forma como os tunisinos se esforçaram para que tudo corresse bem, fazendo-nos sentir felizes e seguros.

Tivemos o privilégio de visitar o Coliseu, que está bem conservado e almoçamos em frente ao mesmo, visitamos Kairouan que tem uma bela Medina e uma mesquita imponente. O museu de Sousse tem uma grande exposição de estátuas e mosaicos muito bem conservados.

As melhores memórias que levo desta viagem são as pessoas. Os organizadores e todas as pessoas que de alguma forma estavam envolvidas neste evento, mostraram sempre vontade de nos cativar e agradar.

Durante os passeios, todos os tunisinos nos acenavam sempre de sorriso espontâneo. São de facto um povo magnífico.

Chegamos bem, de bolsos mais vazios e com o coração cheio.

002-MoN Tunisia 2018
002-MoN Tunisia 2018 002-MoN Tunisia 2018
003-MoN Tunisia 2018
003-MoN Tunisia 2018 003-MoN Tunisia 2018
004-MoN Tunisia 2018
004-MoN Tunisia 2018 004-MoN Tunisia 2018
005-MoN Tunisia 2018
005-MoN Tunisia 2018 005-MoN Tunisia 2018
006-MoN Tunisia 2018
006-MoN Tunisia 2018 006-MoN Tunisia 2018
007-MoN Tunisia 2018
007-MoN Tunisia 2018 007-MoN Tunisia 2018
008-MoN Tunisia 2018
008-MoN Tunisia 2018 008-MoN Tunisia 2018
009-MoN Tunisia 2018
009-MoN Tunisia 2018 009-MoN Tunisia 2018
010-MoN Tunisia 2018
010-MoN Tunisia 2018 010-MoN Tunisia 2018
011-MoN Tunisia 2018
011-MoN Tunisia 2018 011-MoN Tunisia 2018
012-MoN Tunisia 2018
012-MoN Tunisia 2018 012-MoN Tunisia 2018
013-MoN Tunisia 2018
013-MoN Tunisia 2018 013-MoN Tunisia 2018
014-MoN Tunisia 2018
014-MoN Tunisia 2018 014-MoN Tunisia 2018
015-MoN Tunisia 2018
015-MoN Tunisia 2018 015-MoN Tunisia 2018
016-MoN Tunisia 2018
016-MoN Tunisia 2018 016-MoN Tunisia 2018
017-MoN Tunisia 2018
017-MoN Tunisia 2018 017-MoN Tunisia 2018
018-MoN Tunisia 2018
018-MoN Tunisia 2018 018-MoN Tunisia 2018
019-MoN Tunisia 2018
019-MoN Tunisia 2018 019-MoN Tunisia 2018
020-MoN Tunisia 2018
020-MoN Tunisia 2018 020-MoN Tunisia 2018
021-MoN Tunisia 2018
021-MoN Tunisia 2018 021-MoN Tunisia 2018
022-MoN Tunisia 2018
022-MoN Tunisia 2018 022-MoN Tunisia 2018
023-MoN Tunisia 2018
023-MoN Tunisia 2018 023-MoN Tunisia 2018
024-MoN Tunisia 2018
024-MoN Tunisia 2018 024-MoN Tunisia 2018
025-MoN Tunisia 2018
025-MoN Tunisia 2018 025-MoN Tunisia 2018
026-MoN Tunisia 2018
026-MoN Tunisia 2018 026-MoN Tunisia 2018
027-MoN Tunisia 2018
027-MoN Tunisia 2018 027-MoN Tunisia 2018
028-MoN Tunisia 2018
028-MoN Tunisia 2018 028-MoN Tunisia 2018
029-MoN Tunisia 2018
029-MoN Tunisia 2018 029-MoN Tunisia 2018
030-MoN Tunisia 2018
030-MoN Tunisia 2018 030-MoN Tunisia 2018
031-MoN Tunisia 2018
031-MoN Tunisia 2018 031-MoN Tunisia 2018
032-MoN Tunisia 2018
032-MoN Tunisia 2018 032-MoN Tunisia 2018
033-MoN Tunisia 2018
033-MoN Tunisia 2018 033-MoN Tunisia 2018
034-MoN Tunisia 2018
034-MoN Tunisia 2018 034-MoN Tunisia 2018
035-MoN Tunisia 2018
035-MoN Tunisia 2018 035-MoN Tunisia 2018
036-MoN Tunisia 2018
036-MoN Tunisia 2018 036-MoN Tunisia 2018
037-MoN Tunisia 2018
037-MoN Tunisia 2018 037-MoN Tunisia 2018
038-MoN Tunisia 2018
038-MoN Tunisia 2018 038-MoN Tunisia 2018
039-MoN Tunisia 2018
039-MoN Tunisia 2018 039-MoN Tunisia 2018
040-MoN Tunisia 2018
040-MoN Tunisia 2018 040-MoN Tunisia 2018
041-MoN Tunisia 2018
041-MoN Tunisia 2018 041-MoN Tunisia 2018
042-MoN Tunisia 2018
042-MoN Tunisia 2018 042-MoN Tunisia 2018
043-MoN Tunisia 2018
043-MoN Tunisia 2018 043-MoN Tunisia 2018
044-MoN Tunisia 2018
044-MoN Tunisia 2018 044-MoN Tunisia 2018
045-MoN Tunisia 2018
045-MoN Tunisia 2018 045-MoN Tunisia 2018
046-MoN Tunisia 2018
046-MoN Tunisia 2018 046-MoN Tunisia 2018
047-MoN Tunisia 2018
047-MoN Tunisia 2018 047-MoN Tunisia 2018
048-MoN Tunisia 2018
048-MoN Tunisia 2018 048-MoN Tunisia 2018
049-MoN Tunisia 2018
049-MoN Tunisia 2018 049-MoN Tunisia 2018
050-MoN Tunisia 2018
050-MoN Tunisia 2018 050-MoN Tunisia 2018
051-MoN Tunisia 2018
051-MoN Tunisia 2018 051-MoN Tunisia 2018
052-MoN Tunisia 2018
052-MoN Tunisia 2018 052-MoN Tunisia 2018
053-MoN Tunisia 2018
053-MoN Tunisia 2018 053-MoN Tunisia 2018
054-MoN Tunisia 2018
054-MoN Tunisia 2018 054-MoN Tunisia 2018
055-MoN Tunisia 2018
055-MoN Tunisia 2018 055-MoN Tunisia 2018
056-MoN Tunisia 2018
056-MoN Tunisia 2018 056-MoN Tunisia 2018
057-MoN Tunisia 2018
057-MoN Tunisia 2018 057-MoN Tunisia 2018
058-MoN Tunisia 2018
058-MoN Tunisia 2018 058-MoN Tunisia 2018
059-MoN Tunisia 2018
059-MoN Tunisia 2018 059-MoN Tunisia 2018
060-MoN Tunisia 2018
060-MoN Tunisia 2018 060-MoN Tunisia 2018
061-MoN Tunisia 2018
061-MoN Tunisia 2018 061-MoN Tunisia 2018
062-MoN Tunisia 2018
062-MoN Tunisia 2018 062-MoN Tunisia 2018
063-MoN Tunisia 2018
063-MoN Tunisia 2018 063-MoN Tunisia 2018
064-MoN Tunisia 2018
064-MoN Tunisia 2018 064-MoN Tunisia 2018
065-MoN Tunisia 2018
065-MoN Tunisia 2018 065-MoN Tunisia 2018
066-MoN Tunisia 2018
066-MoN Tunisia 2018 066-MoN Tunisia 2018
067-MoN Tunisia 2018
067-MoN Tunisia 2018 067-MoN Tunisia 2018
068-MoN Tunisia 2018
068-MoN Tunisia 2018 068-MoN Tunisia 2018
069-MoN Tunisia 2018
069-MoN Tunisia 2018 069-MoN Tunisia 2018
070-MoN Tunisia 2018
070-MoN Tunisia 2018 070-MoN Tunisia 2018
071-MoN Tunisia 2018
071-MoN Tunisia 2018 071-MoN Tunisia 2018
072-MoN Tunisia 2018
072-MoN Tunisia 2018 072-MoN Tunisia 2018
073-MoN Tunisia 2018
073-MoN Tunisia 2018 073-MoN Tunisia 2018
074-MoN Tunisia 2018
074-MoN Tunisia 2018 074-MoN Tunisia 2018
075-MoN Tunisia 2018
075-MoN Tunisia 2018 075-MoN Tunisia 2018
076-MoN Tunisia 2018
076-MoN Tunisia 2018 076-MoN Tunisia 2018
077-MoN Tunisia 2018
077-MoN Tunisia 2018 077-MoN Tunisia 2018
078-MoN Tunisia 2018
078-MoN Tunisia 2018 078-MoN Tunisia 2018
079-MoN Tunisia 2018
079-MoN Tunisia 2018 079-MoN Tunisia 2018
080-MoN Tunisia 2018
080-MoN Tunisia 2018 080-MoN Tunisia 2018
081-MoN Tunisia 2018
081-MoN Tunisia 2018 081-MoN Tunisia 2018

Tasco com Sorriso

3 aniversário de Anedotas com bolinha

Chega a altura de todas as festas e como não podia deixar de ser a comissão tasqueira volta a organizar este que é o evento mais divertido do Moto Clube do Porto.

No último evento da comissão foram mencionados os sorrisos e as gargalhadas sonoras que seriam um aquecimento para este que é o verdadeiro evento em modo gargalhada, ou não estivessem presentes o nossos amigos Leonel da Ní, o Nuno Feliz e o Mário Paulo, com o seu humor para animarem os sócios do moto clube. E tu se assim o entenderes, vais levar a tua melhor anedota para orgulhosamente contares aos amigos (escreve num papel para não te embrulhar a goela).

O encontro será no restaurante Cozinha da Lena, na rua de São Bento das Peras, em Rio Tinto, às 19h00 no primeiro de dezembro de 2018.

Enquanto dás dois dedos de conversa com velhas e novas amizades, o jantar é servido a partir das 20h00. Iremos apreciar os cinco pratos da praxe com bebida, sobremesa e café. Tudo isto pela módica quantia de 12,50 pacacetes, ou para o mais distraídas 2.500 escudos (mais centavo menos centavo).

Incluído no preço:

  • Entradas
  • Dois dedos de conversa
  • Cinco pratos principais
  • Sopa
  • Sobremesa
  • Bebida 
  • Cafe/ xiripiti
  • Os outros 3 dedos de conversa

Momento alto, anedotas com bolinha

As gargalhadas são por tua conta, contamos contigo.

Este é o ultimo evento anual da comissão tasqueira, o “Tasco com Sorriso”, isso se tu assim o entenderes porque o sorriso é teu e só o levas se quiseres.
Já sabes, abispa-te que o tasco é curto.

Inscrições abertas ate encher, ou até  ao dia 29 de novembro.

Carlos Gomes - 917382000
Zé Pintaínho - 919674305
Zé Secadegas - 936641940 só por sms.

Ate já. 

A comissão tasqueira

Noite da Francesinha com Música ao Vivo

É já a 24 de novembro, na sede

Há algum tempo, um nosso sócio lançou a ideia de fazer na sede a Noite da Francesinha, prato tão típico do Porto que ganha outro "paladar" quando se junta a bonita e carregada pronúncia da nossa cidade. Assim nasceu a:

“Noite da Frãoncezinha cum Muzicóbibo”

Ora aqui está, um evento com o cunho de um sócio.

Aproveitamos a boa ideia, juntamos uma banda conhecida e... pronto. Tudo se conjuga para uma noite bem passada na nossa sede, a partir das 19h30 de sábado 24 deste mês, na companhia dos nossos sócios e amigos.

Para que tudo role na perfeição, as inscrições são obrigatórias já que é necessário saber quantas unidades fazer (data limite 22 de Novembro) e custam 7,5 euros cada

Podem fazer a reserva com o Zé Barros 936641940 ou Calos Gomes 917382000.

Nota: as reservas são limitadas ao espaço existente.

CONVITE AOS SÓCIOS – Todos os sócios e amigos que não possam jantar connosco mas queiram aparecer na sede para assistir ao concerto, serão bem-vindos pois a ENTRADA É LIVRE a partir das 22 horas.

Apareçam.

Trails de S. Martinho

S. Martinho é no Minho

Cumprindo a tradição da data, rumaremos até às serranias entre o triangulo formado por Viana do Castelo, Ponte de Lima e Caminha por trilhos de dificuldade baixa, mas de grande prazer paisagistico e de condução.

Inscrições para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. até dia 15 por 15€ para sócios ou 20€ para a restante comunidade.

Encontro na sede do MC Porto pelas 8h00 de dia 18 ou pelas 10h00 em Viana do Castelo (em local a informar aos inscritos).

O valor da inscrição incluí o passeio em caravana, trajeto em GPS para os inscritos enviado antecipadamente, café à partida da sede, almoço reforçado e muita diversão.

Moto da noite de Novembro'18

Sem grande estória o vencedor desta noite foi o sócio Adriano Moreira com a sua TDM 850. A escolha esteve a cargo dos sócios Carlos Ruivo, Dias Costa e Manuel Tavares

Ler mais...

Passeio de Natal MCP/Mototrofa

20181208 Passeio de Natal 2018Da MotoTrofa rumo às águas frias do Atlântico, atrás dos segredos do mais popular prato dos portugueses

Respeitando a mais ancestral sabedoria popular, lembrando que “chuva em novembro, Natal em dezembro”, a milenar tradição volta a ditar a realização da quadra natalícia no próximo mês. E, não menos importante, anuncia também a concretização do já tradicional Passeio de Natal Moto Clube do Porto/MotoTrofa, este ano no dia 8 de dezembro, um sábado que promete mais uma inesquecível jornada mototurística. Recheada de requintada gastronomia, apostada em preparar os mais apurados palatos para a quadra onde o bacalhau é rei e os doces compõem a corte. Ah, e as inscrições já estão abertas!

Ler mais...

Eleições para o Biénio 2019/2020

MCP OriginalCumprindo os preceitos legais, nomeadamente o Art.º 12.º dos Estatutos do Moto Clube do Porto, venho por este meio convocar todos os sócios efetivos e maiores de idade, a apresentarem listas candidatas ao ato eleitoral que determinará a composição dos Órgãos Sociais do Moto Clube do Porto para o biénio 2019/2020. Ato que decorrerá na Assembleia Geral Eleitoral agendada para o dia 11 de janeiro de 2019.

Sem dispensar a consulta detalhada e atenta dos Estatutos do Moto Clube do Porto, recordo que, no ponto 1 do Art.º 12.º, referente às Eleições dos Órgãos Sociais, é estabelecido que cada lista deve ser subscrita por mínimo de 10% dos sócios maiores de 16 anos e em situação regularizada perante o Clube. Listas essas que devem ser apresentadas ao presidente da Mesa da Assembleia Geral até 30 dias antes do ato eleitoral, ou seja, até 11 de dezembro de 2018, sendo, depois de atestada a sua elegibilidade, afixadas na sede do Clube e comunicadas aos sócios antes do ato eleitoral através dos canais de comunicação do Clube.

O presidente da Mesa da Assembleia Geral
Paulo A. M. Ribeiro

GiróTasco - Arraial minhoto

Foi neste sábado 13 de Outubro que a comissão tasqueira rumou até Darque na Quinta de Santoinho, para celebrar este que foi o ultimo GiróTasco do ano.

Foram 23 os convivas que fizeram questão de o encerrar com chave de ouro.
Devido ao Leslie, a maioria dos nossos amigos optaram por se enlatar e seguir direto ao arraial, perdendo a oportunidade de se deliciarem com as clarinhas no estabelecimento do nosso amigo e associado Filipe Martins de Fão.
Quais três mosqueteiros (Abel Alfama, José Pintainho e José Freitas) de moto em perseguição dos enlatados lá foram estrada fora sem temer o furacão/tempestade que se avizinhava.
Reunidos no local, foi ver o cumprimento afectuoso entre amigos, sorrisos sinceros e gargalhadas sonoras.
Centenas de pessoas fizeram questão de assistir de pé a esta que foi a despedida do Girotasco
Se juntarmos á animação do verdadeiro arraial Minhoto, a bela da sardinha assada com broa, o churrasco, a torneira do néctar sempre disponível e a já muito conhecida bebida minhota, o champarreão, temos como resultado:
Muita dança e passar uma noite diferente a festejar entre os amigos o que é sempre espectacular nestas festas.
O que mais se pode pedir……

Ler mais...

9º Passeio Surpresa MC Porto

S. Pedro ajudou

Foi no passado domingo, 23 de Setembro, que se realizou a 9ª edição do Passeio Surpresa.

O lema desta série de passeios é serem simples, económicos e apenas conhecer-se o rumo a seguir na hora da partida. O compromisso é não utilizarmos auto-estradas com portagem ou pórticos, almoçar em regime de piquenique e ser um passeio aberto a motociclos de qualquer cilindrada, sendo certo que este decorrerá ao ritmo do mais lento.

Pelas 8:15 começaram a chegar os primeiros participantes sede. Depois de aconchegar o estômago com café quente, passou-se de imediato à acção, num curto ‘briefing’ onde se deu a conhecer o trajecto e destino propostos.

Iríamos fazer neste belíssimo dia primaveril, um trajecto por estradas secundárias que nos iria levar até às portas da albufeira do Ermal em Vieira do Minho. percorrendo ao todo cerca de 150 km de pura e entusiasmante condução, tão ao gosto das cilindradas mais baixas presentes. O passeio não defraudou as maxi-motos que se viram obrigadas a reduzir o andamento face aos mais lentos, ou inexperientes.

Paramos poucas, mas justificadas vezes. A primeira vez, para café nas Caldas das Taipas, uma ou outra vez para fotografar até chegarmos por fim ao local do pic-nic que nos aguardava e impossível de descrever. Convcidamo-los a visualizarem os vídeos que foram colocados na página de Facebook do clube, para terem uma melhor percepção do que foi este 9º Passeio Surpresa MCP.

https://www.facebook.com/4Stroke/videos/2262385087122173/

Findo este, aguarda-se já pelo próximo Passeio Surpresa…

À Descoberta de uma Estrela diferente

Quinta edição do À Descoberta mostrou maravilhas serranas em experiência única centrada na Covilhã

Em fabuloso fim de semana para a prática da modalidade, o Moto Clube do Porto, com imprescindível apoio da MotoTrofa e do Moto Clube da Covilhã - Lobos da Neve, levou meia centena de mototuristas às portas do paraíso, com surpreendente redescoberta da Estrela. Na 5.ª edição do À Descoberta, com epicentro na Covilhã, tempo para descobrir paisagens únicas, estradas fantásticas, comidas deliciosas e gentes afáveis, sempre com a serra em pano de fundo.

Ler mais...

Moto da Noite de Outubro'18

20181005 motodanoiteEm dia do À Descoberta-Covilhã 2018, a sexta-feira passada esteve com pouca afluência de... motos...
Apenas apareceram 3 motos para o concurso, mas rapidamente se nomeou um júri entre os presentes para tomar a difícil decisão.
Nem as excelentes bifanas da Amelia travaram a escolha de mais uma Moto da Noite

Assim o júri José Fonseca, José Freitas e Maria Ramos escolheram a fantástica BMW K1600 GT do Abel Sousa.

Ler mais...

MC Porto foi a Tordesilhas

Fim de semana bem aproveitado

Aproveitando os belos dias de sol e de temperaturas quentes de um final de verão, lá rodámos nós por terras espanholas em busca de um pouco da nossa história.

Desta vez, em busca do famoso Tratado de Tordesilhas, acordado entre Portugal e Castela em 4 de junho de 1494 (há muito tempo mesmo) para se definir o que era pertença de Portugal e de Castela.

Saímos da nossa sede, sábado, às 9 horas, rumo à fronteira de Chaves.

Como já vem sendo hábito, os depósitos não iam cheios, pelo que na Gudiña parámos para abastecer, aproveitando o preço inferior do combustível.

Alguns igualmente atestaram os seus depósitos com produtos caseiros, sólidos e líquidos, como já é tradição.

Já preparados para enfrentar o resto da escaldante manhã, desfrutámos das paisagens a perder de vista dos campos de girassóis e de cereais, já cegados, adivinhando o inverno que se aproxima.

Mas como não vivemos só de paisagens, as refeições são sempre obrigatórias.

Ler mais...

Noite da clássica Transalp

Moto da Noite para outro estreante

Em noite calma, esta sexta-feira, 7 de setembroo, teve na sede do clube mais uma edição da Moto da Noite acompanhada pelas tradicionais bifanas.

Parece que o periodo de férias ainda não terminou, mas a sede esteve com boa afluência e o consagrado desta noite foi o Domingos Cruz com a sua Honda Transalp. Os responsáveis pela escolha foram os sócios Abílio Teixeira, Carlos Teixeira e o pluri-repetente João Condé.

Ler mais...

Giro ò Tasco para os lados de S. Pedro do Sul

20180805 24 GiroTascoO Palmeirão foi o destino

30 Entusiastas compareceram, neste domingo 5 de agosto, para o giro ao tasco afim de ouvir e apreciar as lendas e os comes de São Pedro do Sul.

Com promessa de um calor aterrador num percurso com muita mão-de-obra, a caravana saiu pela fresca da sede do clube em direcção á estrada de Entre-os-Rios rumando a Arouca.

Chegando a Arouca, teve-se uma paragem técnica para repouso e arrefecer os cavalos, antes de subir ao alto do monte de São Macário, ouvir as lendas que transformaram o local sagrado.

A lenda foi transmitida e com a visita ao santuário, chegava a hora para rumar ao tasco para apreciar a iguaria escolhida para este passeio, a picanha à tuga.

Boa comida, muita cultura e bons amigos, fizeram que o calor não fosse impedimento para a cavaqueira que surgiu durante o repasto.

De salientar as presença de várias senhoras que levaram as suas motos passando de penduras a eximias condutoras.

O moto clube do Porto aproveita para endereçar os parabéns pela vitória ao piloto Miguel Oliveira em moto2, que neste momento está em primeiro lugar do campeonato do mundo de velocidade em moto2.

Mais fotos do Eduardo Almeida aqui: https://photos.app.goo.gl/UKvMaq1WqKgZLhRD8

Ler mais...

Goldwing Power

Moto da Noite bem quente

Em noite quente, esta sexta-feira, 3 de agosto, teve na sede do clube mais uma edição da Moto da Noite acompanhada pelas tradicionais bifanas.

Apesar do periodo de férias, a sede esteve composta e o ilustre vencedor da mini foi o Henrique Godinho com a sua Honda Goldwing. A escolha recaiu nos jurados Dinis Mota, João Condé e José Fonseca

Ler mais...

E lá foi um "Tasco Groumete"

Vinte e oito foi o número de entusiastas para ver se a tradição ainda é para cumprir.

Assim no dia doze na taberna Boavista (Baixa a Tola), as tripas foram o prato principal em quinta feira de tradição no porto, onde se come o famoso prato que foi criado nas descobertas e na conquista de Ceuta e, foi finalista, às sete maravilhas de gastronomia portuguesa.

Mas antes, as entradas, verdadeiras iguarias tasquenses, com duas de letra e o “muito ou cheio”, fresquinho, iam sendo rilhados enquanto a dona Sílvia dava os últimos retoques na especialidade.

Essa que rapidamente sumiu das travessas, pois a cavaqueira dava vez ao paladar para saborear este petisco tão portuense.

A rematar uma sobremesa francesa, a mousse de chocolate.

A comissão já anda a cheirar novos pratos, esta atento ao pasquim pois está para breve.

Ler mais...

Moto da Noite de Julho

E cumpriu-se a tradição

Mais uma moto da noite bem sucedida com a eleição da BMW K75 do António Marques por parte dos 3 estreantes em Júri: Domek Neves, José Amorim e Luciano Costa.

Tudo isto, claro está acompanhado pelos petiscos da Alice que bem souberam a quem deles quis provar.

A próxima edição é já a 3 de Agosto

Ler mais...

Visita a vila de “As Pontes de Garcia Rodriguez”

03 As pontesGaliza é já aqui ao lado

No passado fim de semana de 9 e 10 de junho, e com o tempo a ameaçar chuva (o que de certeza cortou a vontade a muitos de se inscreverem e alinharem neste passeio) realizou-se o passeio do MCP, à simpática vila de “As Pontes” na Galiza.

Com poucos mas bons, a caravana fez-se à estrada com a pontualidade habitual e foi tomar o pequeno almoço a Cerveira. Daí seguimos para Espanha, onde após abastecer, fizemos todo o percurso da costa em direção a Baiona.

Estrada boa, com paisagem muito bonita, à qual se juntou um elemento externo a esta caravana: a chuva! Sim, a tão falada e esperada chuva!

Em ritmo normal, e acompanhados por este elemento externo, seguimos até S. Vicente del Mar, onde tínhamos marcado o almoço. Paragem bem reconfortante e necessária, após várias horas de condução…

Após o almoço e todos muito bem dispostos, seguimos viagem até aos Paços do Concello da Vila de As Pontes, onde nos esperavam com surpreendente recepção!! À nossa espera estavam a Teniente de Alcalde e o Vereador do desporto, bem como os dois presidentes dos moto clubes locais, e ainda outros elementos da camara municipal e repórteres. Fomos conduzidos ao salão Nobre e convidados a ocupar as cadeiras da vereação!!!

Após discurso de boas vindas e troca amável de lembranças, fomos fazer uma visita ao espaço do Lago, área bem recuperada da mina antiga que aí existia, e povoada agora com inúmeras espécies de fauna e flora. Um sucesso de biodiversidade!

Ahhh, convém informar que já não chovia há muito tempo!! Fim de tarde inesquecível!

E como o tempo passa depressa quando se está bem, lá tivemos de nos retirar e ir fazer o check in ao hotel para irmos ao jantar que estava marcado para as 9h (e já eram as 8h45m quando saímos do lago!!!)… Mais uma excelente reposição de calorias, passeio a pé e cama.

Ler mais...

Chegar aos 32 em excelente forma

Festa de aniversário do Moto Clube do Porto reuniu uma centena de sócios e familiares na Trofa

Festa verdadeiramente ímpar com momentos de salutar convívio em excelente ‘sunset’ e num local a preceito, a comemoração do 32.º aniversário do Moto Clube do Porto deixou em todos sensações únicas que só a maturidade de uma associação pode transmitir. No restaurante Pratos & Petiscos, cerca de uma centena de sócios e familiares não perderam ensejo de entoar os ‘Parabéns a Você’ num dia particularmente importante, onde se trocaram memórias, reviram amigos de longa data, entregaram medalhas que traduzem fidelidade a uma causa e se lançaram bases de novos desafios e viagens.

Ler mais...

Moto da Noite 2 Junho 2018

Em dia de Lés & Lés esta sexta-feira, 2 de Junho, esteve para pela primeira vez não ter moto da noite por falta de... motos.

Finalmente já tarde lá apareceram 3 motos para o concurso, pelo que rapidamente se nomeou um júri entre os presentes para tomar a difícil decisão.

Nem o caldo verde ou as excelentes bifanas da Amelia travaram a escolha de mais uma Moto da Noite

Assim o júri António Sousa, José Valente e Pedro Martins elegeram a BMW R 1150 RT do Alfredo Ramalho.

No próximo dia 6 de Julho há mais...

Ler mais...

Moto Clube do Porto cumpriu tradição de forma religiosa

Último controlo do 20º Portugal de Lés-a-Lés assegurado pelo MCP no Mosteiro de Pombeiro

Primeiro em Martinlongo, logo no início da primeira etapa, na travessia a vau da Ribeira de Carreiras. Depois no dia seguinte, com três "belas" princesas a controlar a entrada no castelo de Amieira do Tejo, em Nisa. E, para encerrar em beleza o 20º Portugal de Lés-a-Lés, o Moto Clube do Porto montou o último dos 18 controlos secretos desta edição, às portas do Mosteiro de Pombeiro ou de Santa Maria de Pombeiro, na freguesia felgueirense de Pombeiro de Ribavizela.

Mosteiro beneditino, construído no século XI sobre fundações que poderão datar de 100 ou mesmo 200 anos antes, declarado Monumento Nacional desde 1910, que inspirou os monges… perdão, os sócios do Moto Clube do Porto, a manter a tradição de estar sempre presente, sendo o único clube totalista com controlos em todos as 20 edições do Lés-a-Lés.

Devidamente orientados por “sua santidade o bispo do (MC) Porto” e com o apoio da “Madre Superiora”, os monges beneditinos dos tempos modernos guardaram as suas motos, vestiram-se a rigor e presentearam os mais de 2000 participantes no Lés-a-Lés de todos os recordes com o último furo na tarjeta que atesta o cumprimento integral do percurso, de 1160 quilómetros de Faro a Felgueiras. E, com a boa disposição que até animou um casamento que ali teve lugar, encorajaram os aventureiros a cumprir os últimos quilómetros até à apoteótica receção final em Felgueiras.